O verão aos pés dos tchecos

Calor, tempo de sandálias, pés de fora. Bom, era assim que eu achava que era o verão até morar em Praga. Não estou dizendo que não há sandálias; pois sim, elas existem mas estão longe de significar pés de fora. Antes que você comece a pensar que virei a falar de moda, que estou destacando uma tendência fashion em que as sandálias são mais e mais fechadas – o que, particularmente, já considero avesso ao conceito de sandália – devo esclarecer que, em linhas gerais, para um tcheco, não mostrar o pé é uma atitude, não uma tendência. “Como?!”, você me pergunta. Ora, a resposta é curta e simples: MEIAS. Isso mesmo, sandália e meia. E não é meia fina, translucida (embora casos sejam verificáveis). Não! Pense uma meia soquete, agora combine isso com uma sandália. Adicione a isso um calor que o homem do tempo diz que pode chegar a 37°C. Visualizou?! Pronto! Você tem o retrato da realidade tcheca… aliás, uma realidade que não distingue sexo ou idade (embora seja mais popular entre os mais velhos).imageedit_2_5623439546

Quando perguntados do porquê, ouvi que com meias tanto os pés quanto as sandálias estariam a salvo da sujeira: pés protegidos do que vem de fora, sandálias protegidas da transpiração dos pés. Já a meia, a suja da história, lavou tá nova. Se há alguma lógica ou sabedoria nisso tudo, está além da minha compreensão. Pra mim mais parece um círculo vicioso: calor faz transpirar, meia aquece os pés, faz mais calor, transpira mais…

Pois é. Mas se for preciso fazer a vez do advogado do diabo em favor dos pés tchecos com suas meias+sandálias, vou dizer que o verão aqui é um amante enganador e bipolar – às vezes está cheio de calor pra dar com seus 30 e tantos graus, às vezes prometendo 25°C e te deixando na solidão de uma manhã fria de 14°C. Sem poder confiar no verão, combinar meias e sandálias parece garantia de se ter tudo.

Quanto a mim?! Ainda prefiro continuar meu jogo de apostas com o sol e escolher OU sandálias OU meias. Afinal:

“Ou isto ou aquilo: ou isto ou aquilo…
e vivo escolhendo o dia inteiro!”
Cecilia Meireles

Verão, seja bem vindo!!

Enfim, verão…imageedit_10_7154967781…sol, sorvete, gente na rua… sol até mais de nove da noite, gente na rua e mais sorvete. Bem vindo, verão! Tinha esperança de que fosses chegar antes, mas estou feliz que tenha, enfim, encontrado seu caminho até Praga com chegada do mês de julho 😀

 

Um verão de eventos

Verão não foi feito para portas fechadas, ou assim parece ser para os tchecos. Para esse povo, verão é a temporada dos biergarten, quando nos parques há sempre lugar para mais um (veja post relacionado AQUI). E é também a temporada dos eventos ao ar livre.

Junho esteve bem movimentado até agora: dias 9 e 10 as igrejas abriram suas portas, abrigaram música e arte no evento Noite nas igrejas; dias 13 e 14 foi a vez da (confusa) programação do Jardins Abertos; o dia 13 foi também movimentado com a anual Noite nos museus; e não podemos esquecer a tradicional apresentação open air da Orquestra Filarmonica que aconteceu dia 17.

Claro que o fim de semana que marcou o início oficial da estação teve sua parcela de eventos. Alguns bem aleatórios – como a corrida dos gorilas – e outros simplesmente ecléticos, como foi o caso da United Islands.

2015-06-20-257

Queria poder dizer que foi um dia lindo de verão, mas o ‘solstício’ quase sempre deixa a desejar (um sol preguiçoso de 18°C).

Mas quer saber… adoro dias de verão, mesmo que eles aconteçam com uma jaqueta 😀

Ainda por vir:

* mais concertos (25/6) e apresentações culturais no  Valdštejnské zahradě (mais informações AQUI – apenas em tcheco)

* amanhã (23/6) como parte das atividades de Tanec Praha (Dança em Praga) tem tango na Náměstí Míru

Eu vi vocês correndo no verão passado

Aconteceu num fim de tarde em junho ano passado – e arrisco dizer dizer que foi justamente no solstício de verão. Finalmente eu podia levar meus vestidinhos para ‘passear’ e naquele dia eu tinha planos de encontrar uma galerinha para umas margaritas depois do trabalho. Só não contava que ao dobrar a esquina, ainda a poucos metros do instituto, ia me deparar com uma competição: um grupo de homens apostando corrida… só de cuecas. O negócio era tão sério que até a pistola para o tiro da largada estava lá fazendo seu trabalho e ignorando a quase nudez dos corredores.

Fotos?! Sinto muito, não há. Fiquei ali olhando aquilo acontecer e me perguntando se já estava tendo alucinações antes do álcool.

Praga nunca para de me surpreender. Mas cá entre nós: antes cuecas que calcinha e sutiãs correndo por aí 😉

varal

Aproveitando o verão como um tcheco

A maneira como os tchecos aproveitam seu verão é algo que me chamou atenção desde a primeira estadia, em 2010. Às vezes me parece que vindo de um país ensolarado nem sempre notamos o sol (mas com certeza havemos de reclamar sua ausência). Já por essas bandas, cada dia de sol é uma festa… principalmente no verão. Ano passado, escrevi para o blog Brasileiras pelo Mundo um pouco sobre o verão dos tchecos. Faltando poucos dias para a chegada oficial da estação, penso que é um bom momento para lembrar parte do texto publicado no Brasileiras pelo Mundo.

* * *

“É verão no hemisfério norte. Período escolhido por muita gente para dar uma voltinha pela Europa contando que assim não vá ter grandes surpresas com os termômetros. Se esse é seu caso e você escolheu Praga como seu destino de viagem, aviso logo: pode ser que o verão aqui te surpreenda. Pode ser que de repente as manhãs ‘fresquinhas’ de Praga (por vezes 14°C) não seja aquilo que você chamaria de verão. Mas pode ser que a surpresa seja o extremo oposto e mesmo com toda sua experiência em verões tropicais no Brasil você se veja passando calor… 30 e tantos graus de calor sem ar condicionado (pois é assim que é na maioria dos lugares por aqui).

E para atacar o calor, uma caneca de cerveja. É certo que sugerir uma caneca de cerveja aqui não depende muito da estação do ano. Se perguntarmos a um Tcheco qual o primeiro lugar em Praga que ele apresentaria a um amigo a passeio pela cidade, arrisco (com 99,5% de certeza) que sua resposta seria: um PUB. (…)

Contudo não vim fazer a vez do Guia 4 rodas indicando esse ou aquele PUB (ainda preciso fazer mais ‘pesquisa de campo’ para dar umas indicações verdadeiramente testadas… hehe). Vim aqui dar algumas sugestões de como aproveitar o combo verão-cerveja no estilo tcheco.

Parque Letná

Não muito distante do castelo (que com certeza estará na sua programação turística) fica essa área verde: Letenské sady, o parque Letná – cujo nome parece ter tudo a ver com leto, que é verão em tcheco (mas isso é mera observação dessa estrangeira aqui). O que essas árvores não contam é que ali, em meio a essa tranquilidade toda, já ‘residiu’ o comunismo; representado por uma enorme estátua de Stalin num ponto do parque com uma vista privilegiada da cidade. Hoje já não há estátua, mas a vista continua belíssima.image_3

Além de um pouco de sombra e tranquilidade, o parque conta com um biergarten, ou seja, uma área com bastante sombra, muitas mesas e banquinhos pra você se sentar e saborear uma cerveja. Para quem não sabe, quando falo cerveja aqui estou me referindo ao que no Brasil chamamos de chopp (que é servida sob pressão a partir de barris). A medida padrão é 500 ml e se quiser beber menos vai ter de informar que deseja malé pivo, ou seja, a pequena de 300 ml.

imageedit_2_3646777924

Riegrovy sady

Pertinho do Museu Nacional, Národní Muzeum, esse parque parece ser o ponto para onde convergem cerveja e esporte. Explico. O biergarten aí, mais que cerveja e linguiças, conta com dois telões sempre ligados no esporte do momento – nem é preciso dizer que esse era o ponto de encontro pra curtir a Copa. E mesmo se você não é muito fã da cerveja e/ou esportes pode curtir a atmosfera do lugar saboreando uma super rosada malinovka (um refrigerante de framboesa) ou a tradicional kofola (versão tcheca para coca-cola).

Parque Stromovka

Bicicletas, patins, patinetes… um lugar para picnic (naquele estilo bem filme: com cesta de vime sobre toalha xadrez)… famílias, crianças, cachorros…muitos cachorros (afinal, por aqui todos prezam bastante o melhor amigo do homem); essa é a visão desse imenso parque muito apreciado pelos locais. Apesar de menos turístico e tendo o principal restaurante em reforma, é possível encontrar um ponto de venda de cerveja nas barraquinhas próximas do restaurante ou nas imediações do Planetarium (e cá entre nós, foi uma das cervejas mais baratas que já tomei por aqui). No mais, se você é daqueles que curte uma caminhada, de Stromovka para o Chateau em Troja é um pulo (ou quase isso… basta atravessar uma ou duas pontes).”

Fica a dica 😉


Esse texto foi publicado originalmente no blog Brasileiras Pelo Mundo. Para ver o post na íntegra, clique AQUI.