Nada a dizer

…senão obrigada.

Aos que acompanharam o projeto Sanca City, via blog e/ou pessoalmente, meus sinceros agradecimentos (chegamos a 10mil visitas – no somatório desde a abertura do blog).

No mais, tudo em ordem por aqui na minha nova-velha casa (casa de mamy) – lembrando que ‘em ordem’ é um conceito bem relativo…hehehe

P.S. Essa é minha terceira tentativa em escrever esse post então, por favor, não sejam tão críticos.
P.S. do P.S. Continuo a ouvir o apito do trem. E não, eu não sou esquizofrênica 😛

Sanca: minha cidade

“Só conhecemos uma cidade na qual já fomos muito alegres e muito tristes, apaixonados e solitários”
– Calligaris – Romance , poesia e Veneza
(Folha de SP, 21/07/2011)

As palavras não são minhas mas falam muito de minha relação com Sanca. Aqui fui aluna, professora, amiga, amante. Aqui cantei em coral, lutei kendô, cozinhei, estudei, estudei, estudei… Aqui tive o coração partido (algumas vezes), curei o coração com outras paixões. Aqui fui triste e também imensamente feliz.

Então, arrisco dizer: sim. conheço esta cidade. Mas se as palavras fossem minhas com certeza diria que:

“Só amamos uma cidade na qual já fomos muito alegres e muito tristes, apaixonados e solitários”

Sim, amo esta cidade. Então, Sanca, até mais ver.

 

P.S. Este post encerra a série “Sanca: fotos, fatos, músicas”. Veja os post anteriores AQUI

Sanca…

…meu infinito particular

Eis o melhor e o pior de mim
o meu termômetro, meu quilate

Vem, cara, me retrate
Não é impossível
Eu não sou difícil de ler
Faça sua parte
Eu sou daqui, eu não sou de Marte

Sanca: descobertas (musicais)

Contei que Alanis povoou meus primeiros anos em Sanca. E foi ainda lá nas kits do 75B que tantos cantores começaram a ter nome, tantas músicas começaram a ter letra (lembram as cantorias regadas a Bryan Adams, meninas?!).

Ao regressar pra Sanca, vivi uma enxurrada de seriados, mas foi especialmente Grey’s Anatomy que me conduziu a uma infinidades de descobertas musicais. Uma dessas descobertas, que veio primeiro como indicação da MC, ‘carrego comigo’ desde então e por isso não poderia faltar aqui: Ingrid Michaelson + Grey’s Anatomy

‘cause all I can do is keep breathing…now

P.S. Outros posts do projeto “Sanca: fotos, fatos, músicas” você encontra AQUI