Os flocos de neve existem

A neve dos cartões de Natal nunca me incomodou. Tenho certeza de que, criança, até cheguei a colar bolinhas de algodão nas plantas de casa em meados de dezembro para a nevada decoração natalina. Mas sempre achei que a imagem de um floco de neve era invenção romantizada, irreal (nem mesmo a matemática dos fractais me convenceu do contrário…afinal, minha matemática sabe ser tão de outro planeta).tumblr_mywe91gwBS1sapmszo1_500

Então, um dia de inverno em como outro qualquer, indo pro trabalho e lá está ele:

imageedit_3_4437469277

… grudando-se na minha jaqueta, derretendo sob minha curiosidade de tocá-lo, e me fazendo passar por doida na rua enquanto tentava tirar essa foto…hehe

A neve pode hoje ser apenas a lama das ruas ou aquilo que faz o chão do hall uma meleca. A neve pode ser aquilo que me faz ter questionamentos malucos (se sair na rua de cabelo molhado congela? se eu chorar, as lágrimas serão pedrinhas de gelo?…). Mas não dá pra negar: a neve que acontece devagarinho pode ser bem bonita. 😀

Anúncios

Janeiro devagarinho

DSC04635_1920x1080

O primeiro dia útil do ano talvez tenha se confundido no calendário: vestiu-se de branco como quem se apronta para a festa de Reveillon. Mas dia 4, segunda-feira, era dia de trabalhar. E da janela do meu escritório assisti o laranja dos telhados desaparecer sob o branco dos gordos flocos de neve que caíam. Caíam?! Na verdade, eles pareciam dançar no ar, quase flutuando. Fiquei ali observando a falta de pressa dos flocos de neve e recordando a primeira vez que vi essas coisinhas abandonadas a mercê do vento. Era dezembro de 2010 e o mundo além da minha janela parecia acontecer em câmera lenta. “Acho que está nevando.”, pensei comigo. Achava, não tinha certeza.

O primeiro dia útil de 2016, não deixa dúvidas. Sim, esteve nevando. No fim do expediente, no caminho de casa, as ruas já não eram as mesmas que tinham me trazido pela manhã. Assim começou janeiro, devagarinho, a passos de pinguim. Afinal, na neve não há espaço para pressa.

Que seja então, 2016 um passo de cada vez.

DSC04583_2592x1944

As estações (de um único dia)

Este era pra ser um post alegre, celebrando a Primavera na pintura de Mucha, anunciando que o post de quarta-feira passada foi apenas o primeiro de uma série de ‘Looking forward to…’ que pretendo apresentar aqui até que chegue o verão. Mas hoje amanheceu assim:

imageedit_1_5410919319

(photo by namorido)

Sim, neve em quase abril. É certo que depois a neve virou chuva, que virou sol, pra então fazer mais chuva e muito, muito vento.

Outra dia trago Mucha e suas estações; até lá continuemos ‘Looking forward to’  sol

Viajando para o inverno

Às vezes parece que Praga esteve situada numa bolha essa estação. Era fevereiro quando, depois de rodar alguns quilômetros, encontramos o inverno que existia além dos limites da bolha.  Um mundo branco, frio e belo. Parecia que para que estávamos viajando para o inverno. Quando vi um lago congelado (algo não tão comum por aqui), fiquei embasbacada, grudada na janela do onibus, incapaz de uma foto para lembrar/compartilhar.

Mas o inverno era mesmo o nosso destino de viagem e aquele domingo amanheceu assim

IMG-20150208-WA0003 … como diria Záfon, um domingo coberto da caspa de deus. image Mais um fim de semana que chega, mais uma vez na estrada, contudo quero acreditar nos homens do tempo que dizem que estamos rumando para uma primavera de 10°C. Tomara, tomara, tomara, amém 😀 Bom fim de semana pra vocês!!

Antes que ela chegue

Antes que ela chegue (ela, a Primavera) é isso que temos por aqui…

DSC04562_2592x1944

19 de março, neve e dizem que o equinócio é esperado para dia 20. Sei não. Tenho a impressão de que os casacos de inverno ainda ficarão pendurados entre as roupas de uso frequente por algum tempo (e não trancados na mala como eu pretendia). Mas já que neve é o que temos pra hoje, o jeito é apreciar um pouco de snow-art e rir com Calvin 😉

DSC04666_2592x1944

DSC04673_2592x1944 snowmanBoa terça-feira (gelada) pra você!