Comprando esperança (ou seriam cravos?!)

Na última sexta-feira quando contei como as flores serviram de calendário (veja post AQUI), anunciei que era hora de renovar o colorido da casa.

Não, não foram rosas que vieram enfeitar o vaso na mesa. Comprei esperança sob o nome de karafiát.

Dizendo isso não estou a fazer poesia, combinando o melancólico ar de outono daqui ao contrastante colorido da primavera que agora chega ao Brasil. Quando digo que comprei esperança é porque na sexta-feira passada quando trouxe o tal ramalhete para casa ele era apenas uma coleção de galhinhos verdes – botões, numa esperança de flores.
Eis o resultado agora:

141169119033548

Parece que essa semana as flores também contaram o tempo: um pouco mais vivas a cada dia.

Primavera ou outono, que seja um fim de semana florido pra todos nós.

Anúncios

Contando o tempo

Às vezes me parece que comprar flores é parte da cultura aqui.
É dia do nome, dá-se flores. É aniversário, flores. Reencontro no aeroporto, flores. Vai pra casa, flores… sim, flores simplesmente porque você vai pra casa. Afinal a casa também merece um pouco da alegria em formas coloridas vez por outra. Por isso, tão logo compramos a mesa pro apartamento, comprei um vaso para morar na mesa – o qual tento agradar com flores de tempos em tempos.

Na última sexta-feira, junto das sacolas de compras, trouxemos pra casa crisântemos. Só não sabia que as flores trabalhavam como calendário, mostrando o correr dos dias:

sábado, menos uma

141107193012608

quarta, ainda duas sobreviventes

141107193012608 (1)

quinta, perto do fim

141107193012608 (2)

E hoje, quando as 7 flores já encerraram seu expediente, é sexta-feira novamente.141107193012608 (3)

Fim da semana, fim das flores. Hora de ‘recolorir’ a casa…quem sabe rosas dessa vez?!
Um fim de semana florido pra vocês.

dia 29. Nature

O tema ‘Natureza’ parece pedir fotos de paisagens verdes, intocadas… mas não aqui.

Hoje, quando ia para o trabalho, o céu não estava de todo azul, mas também não estava cinzento…eram 9 horas da manhã e havia uma claridade tal qual fim de tarde. Ainda que eu estivesse encantada, colada à janela do tram tentado absorver a beleza daquela luz, uma parte de mim não queria olhar; desconsolada. Quero fingir que não vi, pois bem sei o que significa essa luz preguiçosa pela manhã: o fim do verão.

É essa natureza que cabe a esse post #augustbreak.
A foto não é de hoje, é um por-do-sol da minha coleção, mas o colorido do céu é bem a luz de despedida de estação que me saudou pela manhã.

dia29

#August Break 2014