O post que eu não deveria escrever

Hoje foi um daqueles dias em que trabalho de casa (porque o desktop do instituto não consegue fazer o que preciso). Então sou eu, o computador e o ap vazio. Vazio, mas não em silêncio pois Carla Bruni canta em francês enquanto trabalho em inglês. Bom, trabalhar mesmo não trabalho pois tive a brilhante ideia de incluir nos slides uma foto do carnaval brasileiro – afinal, minha palestra será na próxima terça-feira; carnaval! Uma hora depois testei duas fotos nos slides, não me decidi por nenhuma, olhei outras tantas e, de repente, estou super envolvida na importante tarefa de organizar meu arquivo de imagens.

Lá pelas duas da tarde meu estomago reclama que ainda não almocei. Como um rico prato do resto-de-ontem e sento para trabalhar. Os slides vão surgindo e o relógio avisa que logo é hora da aula de dance fitness – 30 minutos pulando e dançando; sim, eu curto. Quase 30 minutos para chegar na academia…ah, que preguiça! Sim, preguiça de sair é algo que sempre se pode esperar dos dias de escritório em casa. Sim, eu entendo (compartilho?!) o instintivo desejo dos ursos de hibernarem no inverno. Mas não, tento não pensar muito no assunto e antes que a preguiça me amarre na cadeira, me visto e tomo meu rumo. Pulo, danço, descubro músculos até então desconhecidos (e agora doloridos)… ah, as delícias das endorfinas.

Antes de voltar pra casa, um café com uma amiga também previsto na agenda do dia. Falar da vida, discutir gramática da língua inglesa (sim, minha vida nerd também inclui uma afeição por inglês). Sigo para meu subúrbio com a sensação de que o dia está menos cinza (embora já seja noite e meu caminho seja à lá tatu; por debaixo da terra). Sinto quase uma (indevida) pontada de satisfação em relação ao meu dia – embora saiba que nada tenho do que me orgulhar.

Hoje foi um daqueles dias e agora que chega ao final, na verdade, tanto faz o que tanto não se fez.

Estou voltando

imagem por College Craninun

imagem por College Cranium

Alguém viu julho por aí?! Entre dormir-acordar, fazer matemática, receber visitas, acordar-dormir, me meter em reuniões aleatórias, acordar-acordar, escrever projeto, casar os outros, não fazer matemática, submeter projeto, esticar os fins de semana ao máximo, dormir-dormir… em meio a tudo isso, nem vi julho passar e hoje ele já se despede.

Agosto está quase aí e ainda não consegui me decidir se esse ano o blog verá a edição do August Break 2015 – um projeto delicioso de Susanna Conway do qual participei em 2013 e 2014.

Mas mesmo sem nada decidir, mesmo sem saber se ainda tem alguém aí (oi?!), como já estava homesick desse lugarzinho (homesick entre números e equações, bem como na imagem acima) tinha de vir aqui ao menos para dizer que estou voltando.

Eu vi vocês correndo no verão passado

Aconteceu num fim de tarde em junho ano passado – e arrisco dizer dizer que foi justamente no solstício de verão. Finalmente eu podia levar meus vestidinhos para ‘passear’ e naquele dia eu tinha planos de encontrar uma galerinha para umas margaritas depois do trabalho. Só não contava que ao dobrar a esquina, ainda a poucos metros do instituto, ia me deparar com uma competição: um grupo de homens apostando corrida… só de cuecas. O negócio era tão sério que até a pistola para o tiro da largada estava lá fazendo seu trabalho e ignorando a quase nudez dos corredores.

Fotos?! Sinto muito, não há. Fiquei ali olhando aquilo acontecer e me perguntando se já estava tendo alucinações antes do álcool.

Praga nunca para de me surpreender. Mas cá entre nós: antes cuecas que calcinha e sutiãs correndo por aí 😉

varal

Campanha: Vá de escada

Ah, verão… a felicidade dos dias ensolarados que pedem shorts, saias e todas aquelas roupas que estiveram abandonadas quando a estação do sol se despediu. Ah, verão… a angústia das peças de roupa cuja economia de tecido deixam a mostra o que estivemos escondendo no inverno.

Por esses e outros motivos, exercitar-se é necessário. Então, dia desses andando por aí encontrei no nome de uma loja uma sugestão de solução:

imageedit_2_3682912006

Vá de escada!
Pode não ser uma mudança significante na sua saúde, pode não representar mudanças na conta de luz o fato de você não usar o elevador…
…ainda assim vá de escada, movimente-se!

Eu aderi a sugestão de escada-sport… e você?
Deixe um comentário me contando 😉

Monday intentions

Dizem que de boas intenções o inferno está cheio; acredito que o mesmo se possa dizer dos inícios e das segundas-feiras. Hoje então, segunda-feira, nova semana, novo mês, as mesmas velhas boas intenções

  1. não roer unha (ainda na mesma luta desde sempre);…… FAIL!
  2. estudar tcheco;

    2015-05-31-248

    pois é… a prova final está chegando

  3. ir na academia ou, ao menos, fazer uma caminhada;
    2015-05-28-230
  4. comer direito;

    vamos ter em mente que 'direito' é mera questão de definição

    vamos ter em mente que ‘direito’ é mera questão de definição

  5. ESCREVER!!!! 🙂

Bom, a lista não se cumpriu num todo, mas o mês está apenas começando. Haverão ainda mais 4 segunda-feiras para encher de boas intenções até que se declare que metade do ano já foi. E você? Quais são/foram suas Monday intentions?


Qualquer semelhança com minhas resoluções de um certo 1° de abril, não é mera coincidência.