#AugustBreak – dia 11: One wish

Just one?!

Achei que deveria ser um desejo altruísta, mas meu desejo é simples e egoísta:
o que mais quero mesmo e de verdade é tirar essas moças de dentro da tela do celular e dar-lhes um longo abraço 🙂

 

#AugustBreak2017

 

Anúncios

#AugustBreak – dia 4: Where I live…

Onde eu moro…

… um pulo e estou fora de Praga, um salto mais longo e estou no centro da cidade. É como viver numa vila pacata e ter Praga no quintal.
… o silêncio dá lugar aos passarinhos cantadores pela manhã e aos vizinhos chineses discutindo conversando em horários aleatórios.
… há casas que já viram muito mais anos de história do que os que somo na carteira de identidade — e algumas delas tem até nome!
… os jardins das casas comportam flores, maçãs, ameixas, cerejas ou (inusitadamente) um barco que é certo já não vê o mar há tempos.
… o campus universitário dá um toque de juventude e diversidade cultural à vizinhança.
… os pais jovens levam seus pequenos para tomar ar fresco numa caminhada quase diária; os velhinhos levam seus cachorros passear diariamente.
… vejo tantas chegadas e partidas nos aviões voando baixinho no horizonte.

Onde moro é como uma pacata vila, mas Praga em toda sua beleza está logo ali, dobrando a esquina.

Praga, ainda tão bonita como nessa foto de 2010

#AugustBreak2017

 

#AugustBreak – dia 1: Morning

aug01

7 am? Ou serão apenas 6 da matina? Sei que já é dia pois as cortinas deixam entrever um raio de sol. Cortinas grossas sim, mas não o bastante para impedir o eco do cortador de grama que ruge lá fora. Dormir. Acordar. O alarme toca. São 7:15 am. Apesar da névoa em meus olhos embaçados, vejo que ele se levanta. O tintilar dos copos e talheres na cozinha chegam até mim como uma canção de ninar. Então o aroma do café vem me tirar da cama. Tal qual personagem de desenho animado, sigo flutuando de encontro ao café guiada por seu perfume hipnotizante. Caneca em mãos, o primeiro, o segundo gole… desperto. Assim começa mais um dia.

#AugustBreak2017