Lisboa: 7 dias num piscar de olhos

Difícil acreditar que já se passou um mês desde que estive ‘mais perto’ do Brasil. Pois é, quando disse que “estar em Lisboa seria o mais perto Brasil que eu poderia chegar por agora” não sabia o quanto de verdade se escondia nessas minhas palavras. De fato, estando em Lisboa pude me sentir em casa, em terras brasilis… para o bom (língua portuguesa, comida boa, carisma das pessoas…) e para o ruim (trânsito caótico, desorganização…).

Os 7 dias que lá estivemos – distribuídos entre matemática e turismo – aconteceram num piscar de olhos. Se eu tivesse de escolher um pedacinho agradável de cada um desses dias, eis o que seria:

dia 1: a atmosfera leve da feirinha em Bairro Altoimageedit_3_5194665078

dia 2: croquetes, risoles e salgadinhos (como deve ser uma festinha)

* não há foto…comi tudo 😀 *

 

dia 3: Mosteiro dos Jerónimos… um espetáculo!imageedit_6_2436545971dia 4: Cabo da Roca, o ponto mais a oeste da Europa (realmente o mais perto que pude chegar do Brasil)imageedit_9_3542285468dia 5: livros…livros…imageedit_13_3534730426

dia 6: conhecer pessoalmente quem já conheço no virtual; Lyria, que escreve o blog Viver a vida em Portugal imageedit_1_5651567354

dia 7: Campo Pequeno e cantarolar ‘El Toreador’, da ópera Carmemimageedit_16_9646949172