#AugustBreak – dia 14: Vintage

… uma folha amarelecida, uma pena, um tinteiro; escrever numa outra época.

… e então um copo de cerveja pra me lembrar que lá fora é apenas um dia de primavera em 2017, que este é apenas um restaurante com um serviço agradável em Domažlice, Republica Tcheca.

 

#AugustBreak2017

 

Anúncios

Estou em Santiago

“Sim, estou em Santiago de Compostela.”
Basta dizer isso que já posso ouvir o sorriso que acompanha interjeições animadas e vem seguido de um suspiro sonhador.

Vim à Espanha para descobrir que nunca soube embromar um espanhol e hoje até esgasgo no meu português. Estou na cidade peregrina e sei que soa esnobe dizer que não andei muito mais do que os quarteirões que separam o hotel do campus da universidade. Assim é o que trabalho me faz (ou assim é o que faço eu do trabalho).

Seja como for, Santiago já me encanta. Uma atmosfera ao mesmo tempo tranquila e animada; como viver em slow motion num filme de falatório acelerado. Uma cidade mística que esconde uma tentação em cada esquina, digo, uma tentação em cada padaria/café de esquina.

A Santiago dos sorrisos e interjeições ainda descobrirei. Quanto as tentações…imageedit_2_5404480140

porque algum motivo churros me fazem pensar no chaves… hihihi

De volta à Munique

imageedit_6_5676858350

Marienplatz – Munique

6 anos se passaram. E embora eu nunca tenha me esquecido da daquela viagem à Munique, há tão pouco de que me lembre.

Enquanto preparava o roteiro de um dia na cidade, apesar do mapa fazer completo sentido aos meus olhos, percebi que pouco (ou nada) saberia dizer dos pontos turísticos. Karlstor. Dom. Peterskirche. Viktualien markt. Residenz. Hofgarten. Nymphenburg Scholss.

Munique tem tanto oferecer que fiquei um pouco envergonhada em reconhecer que minhas lembranças se resumiam a umas horas de Oktoberfest, uma estação de metro com meu nome, uns telhados decorados e um “show de bonecos” na prefeitura. De repente me fora dada outra oportunidade de descobrir a cidade. Eis o resultado:

* percebi que a estação de trem está perto de tudo;
* encontrei a tal ‘pegada do diabo’ na catedral;
* vi Marienplatz do topo dos 300 degraus da torre da igreja de S. Peter (foto acima);
* me enamorei (novamente) da feirinha em Viktualien;
* entendi que o show do Glockenspiel em Rathaus tem hora certa para acontecer (11 am e 12 pm);
* carros, carros e carros no BMW museum;
* admirei Residenz em suas salas e todas as jóias que guarda;

imageedit_9_7372611857

Antiquarium – Residenz

Dentre todas as novidades que Munique revelou nessa viagem, foi bom poder contar também com o conforto do conhecido: boa cerveja, boa comida e boa companhia na festiva atmosfera da Hofbräuhaus.

imageedit_2_7794391516

Primeiro de maio, (em Praga) dia do amor

Primeiro de maio, dia de subir Petřín, beijar sob as cerejeiras e com isso receber as bençãos de um amor jovem pelas mãos do poeta que escreveu Máj — ou assim reza a lenda do den lásky, o dia do amor em Praga.

Aí você me lembra que não estou em Praga.
Pois é, esse ano não houve Petřín para nós; mas o dia do amor, esse ‘inventamos’ ainda em março, ainda em Czechlands, sob amendoeiras em flor.imageedit_3_4377648830

Mesmo não eternizado pela poesia de Mácha, um jardim em Hustopeče tem chamado atenção, criando quase um local den lásky em meados de março, quando florescem as amendoeiras.

Então, num sábado ensolarado, percorremos os 32 km que separam Hustopeče de Brno, na Moravia do sul, e fomos descobrir a beleza das amendoeiras que ainda não se tinham desmanchado numa chuva de pétalas.imageedit_8_6068407479imageedit_11_4357970017

Entre aquelas árvores que, ignorando as marcas da avançada idade, se enfeitavam de flores eu pensava em Maria Betânia e sua canção Depois de ter você. “.. pra que amendoeiras pelas ruas?”, ela canta. Acho que numa visita a esse jardim em Hustopeče e entende-se o porquê. Pra que amendoeiras?! Para ‘abençoar’ os casais que se beijarem sob seus galhos floridos com um amor sempre jovem… como numa versão da (romântica) lenda que se perpetua em Petřín. 

P.S. A popularidade desse jardim tem crescido e nos últimos anos o desabrochar das flores acompanha uma série de eventos (veja AQUI para o festival ocorrido em 2016).