Temporariamente fora de serviço

Fevereiro, o mês mais curto do ano. Quão irritante clichê é essa frase?!

2/1/2017 – começa Fevereiro
… e quando me deparo com o estilo americano de comunicar datas, quero esquecer a convenção mês-dia-ano, quero acreditar que esses números vem me dizer que o ano só começou.

Apenas mais dois meses na Eslovaquia.
Se Fevereiro será curto, Março mais ainda. Entre relatórios finais e caixas de mudança, sei que esse blog vai ficar esquecido junto com as roupas que não serão usadas até que chegue o sol de Abril. Por isso:

fechado

O blog encontra-se temporariamente fora de serviço.
Volto em breve (com um novo cep, em um novo-velho país).

Since I moved to Bratislava

 

imageedit_2_8720641069Since I moved to Bratislava (272 days ago), I…

– spent 89 days out of Bratislava
– gave 13 lectures
– wrote (only) 39 blog posts
– read 15 books (including “Alice in wonderland”)
– started writing a journal with pen (and liked it)
– visited a number of castles and ruins
– walked 5+17+10 km in three days in the high Tatras
– sang “Gumdci medove” to keep the bears away (during the hike in Tatras)
– ate wild berries along the way
– saw the Sarajevo of Zlata
– had many (Bosnian & Slovak) ice-creams
– savored summery-breakfasts on our balcony
– cooked risotto funghi with the mushrooms we picked
– ate less popcorn, ate more nutella
– briefly sang “The sound of music” at Mirabell’s garden, in Salzburg
– danced to the 80’s-90’s music till 3 am
– spent my birthday in a SPA in Budapeste
– became (kind of) blond
– realized I was not born to be blond
– traveled by high-speed train in China
– tried some Chinese delicacies: duck’s tongue and preserved eggs
– treated myself daily with a shot of brandy (65% alcohol) while in China
– had an incredible allergic reaction (to shrimps?!)
– got a visit from my mother
– learned more about my family
– felt like home in Poznan, Poland
– bought a book at the airport to have some company
– was (surprisingly) open to people
– fell in love with my Czech guy (again)
– cried and made people cry
– smiled and made people smile too

🙂

Devín – uma escapadinha da capital

Era ainda abril em nossa nova casa quando nos vimos desejosos de dar uma fugidinha da capital Eslovaca. Sem muito planejamento, exceto uma conferida na previsão do tempo, fomos conhecer a (não-)Bratislava que fica no fim da linha 29 de ônibus… o castelo de Devín.

devin

Como acontece com a maioria dos castelos da Eslováquia, hoje Devín não é muito mais do uma coleção de muros, uma ruína bem organizada.d1d2

O castelo de Devín está localizado no ponto onde o rio Morava encontra o Danúbio. Por sua história passaram celtas, romanos, tcheco-eslovacos, encontrando seu fim nas mãos das tropas de Napoleão.d3

Hoje é passeio para turistas e locais, com eventos pipocando durante o ano —  em abril, por exemplo, era tempo da festa para a queima das bruxas (tal qual em Czechlands).d4

Bom passeio e dovidenia!

Das batalhas encenadas

É sábado, no sofá curtimos nosso momento de preguiça pós-café da manhã (às 13h) até que um som abafado nos chama à sacada. Parecem explosões/fogos ao longe. Num estalo (literalmente) me dou conta do que está acontecendo. “Perdemos a batalha de Lamač, digo ao tcheco. Sim, estou falando do fim da guerra Austro-prussiana; mas ganhar ou perder é algo já de longe determinado. O que estava acontecendo então?
Uma encenação da tal batalha.

cannon

Não acompanhamos a ‘vitória’ austríaca em defesa de Bratislava. Mas chegamos a tempo de ver ainda os soldados — vencedores e perdedores.

bataioncamp

Mas de batalhas encenadas, outra sim acompanhei de verdade: a batalha de Bilá Hora — a batalha da Montanha Branca. Um marco no fim da participação da Bohemia (i.e. Czechia) na Guerra dos Trinta Anos; uma guerra talvez chamariam santa, haja visto a briga dos interesses políticos se dividiam em catolicos e protestantes.

A encenação de 2015 aconteceu num sábado fresco de setembro em Bilá Hora mesmo, hoje um distrito de Praga. Tentei “recriar” o teatro aqui pra vocês. Enjoy! gif-batalha