Encontrando meu lugar ao sol

Nas duas últimas semanas passei tanto tempo em Bratislava quanto fora dela. Foram dias em Praga, dias na casa da sogra, dias de trabalho na outra ponta desse país ‘estreito-&-comprido’ que é a Eslovaquia; horas de estrada que no final devem somar quase um dia.

Nos entremeios, houve dias em casa para lembrar ao tcheco que ainda estamos juntos. Dias em casa… Chegando a marca dos dois meses desde a mudança, penso que começo a tomar posse de meu cep na capital eslovaca.

Sobre Bratislava, é pouco o que conheço – e o que escrevi é ainda menos do que pouco. Mas creio que posso dizer que descobri algo: meu lugar ao sol.

2016-05-05 18.54.37

Parque Eurovea – as margens do Danúbio (azul)

2016-05-05 17.42.38 HDR

Dovidenia!

Os flocos de neve existem

A neve dos cartões de Natal nunca me incomodou. Tenho certeza de que, criança, até cheguei a colar bolinhas de algodão nas plantas de casa em meados de dezembro para a nevada decoração natalina. Mas sempre achei que a imagem de um floco de neve era invenção romantizada, irreal (nem mesmo a matemática dos fractais me convenceu do contrário…afinal, minha matemática sabe ser tão de outro planeta).tumblr_mywe91gwBS1sapmszo1_500

Então, um dia de inverno em como outro qualquer, indo pro trabalho e lá está ele:

imageedit_3_4437469277

… grudando-se na minha jaqueta, derretendo sob minha curiosidade de tocá-lo, e me fazendo passar por doida na rua enquanto tentava tirar essa foto…hehe

A neve pode hoje ser apenas a lama das ruas ou aquilo que faz o chão do hall uma meleca. A neve pode ser aquilo que me faz ter questionamentos malucos (se sair na rua de cabelo molhado congela? se eu chorar, as lágrimas serão pedrinhas de gelo?…). Mas não dá pra negar: a neve que acontece devagarinho pode ser bem bonita. 😀

Janeiro devagarinho

DSC04635_1920x1080

O primeiro dia útil do ano talvez tenha se confundido no calendário: vestiu-se de branco como quem se apronta para a festa de Reveillon. Mas dia 4, segunda-feira, era dia de trabalhar. E da janela do meu escritório assisti o laranja dos telhados desaparecer sob o branco dos gordos flocos de neve que caíam. Caíam?! Na verdade, eles pareciam dançar no ar, quase flutuando. Fiquei ali observando a falta de pressa dos flocos de neve e recordando a primeira vez que vi essas coisinhas abandonadas a mercê do vento. Era dezembro de 2010 e o mundo além da minha janela parecia acontecer em câmera lenta. “Acho que está nevando.”, pensei comigo. Achava, não tinha certeza.

O primeiro dia útil de 2016, não deixa dúvidas. Sim, esteve nevando. No fim do expediente, no caminho de casa, as ruas já não eram as mesmas que tinham me trazido pela manhã. Assim começou janeiro, devagarinho, a passos de pinguim. Afinal, na neve não há espaço para pressa.

Que seja então, 2016 um passo de cada vez.

DSC04583_2592x1944

Para Setembro

Sei que Setembro chegou quando pela manhã os meteorologistas me dizem que o tempo não está pra saia.

Sei que é Setembro quando vejo o centro pipocando de grupos de estudantes a acompanhar seus professores no que poderíamos chamar de aulas práticas de cultura (embora eu, dada a minha experiência como professora, fique até um pouco tensa com tal imagem, antevendo altas doses de stress a emanar da coitada que lidera o grupo).

Sei que estamos no (fim do) verão de Setembro pois as sandálias de outrora deram lugar a botas e sapatos fechados.

Sei que é Setembro, tanto quanto a natureza o sabe… nas árvores que mudam de cor, nas folhas que povoam as calçadas… em tudo um suspiro de fim e um toque de (re)começo.

Suspiro o fim de Setembro e festejo o Outubro dourado que há de começar.

imageedit_1_9429406996

#AugustBreak, dia 31 – August was…

Agosto foi… urgente, intenso. Agosto foi verão, sol, 30 e muitos graus; foram noites de ventilador ligado, mas também uma (pequena) sequência de dias de chuva constante. Agosto foi busca e encontro, sofrimento e alívio, arriscar-se e paralisar-se. Agosto foram muitos livros e pouca escrita (ou será que foram muitos livros para fugir da escrita?!). Agosto foi tudo, menos August Break e ainda assim o projeto fotográfico achou seu caminho no blog (veja todos os posts AQUI).

Agosto foi urgente, intenso e, porque não dizer também, um mês de final feliz.2015-08-25-307

Hezký den!!