My way through a Gratitude week

Ás vezes parece mais difícil ser grato durante a semana, segunda-a-sexta, com o insensivel despertador a nos empurrar da cama, com a louça a esperar na pia, com o jantar que não acontece como na família dos Jetsons. Mas essa é minha Gratitude week e, com um incentivo matinal na minha inbox, passei pela semana com um olhar observador tentando adivinhar onde se escondia minha gratidão de cada dia. Eis o que encontrei:

Gratidão de segunda-feira:
… o dia que se fez ensolorado (deixando minha mãe conhecer uma Bratislava menos cinzenta),
… a caminhada às margens do Danubio enquanto o sol já se apressava em deitar (antes da 5 da tarde)

imageedit_2_2849390625

Gratidão de terça-feira:
… todo o carinho desses dias de visita resumido e reafirmado num abraço no aeroporto,
… awumbuk; um sentimento que, assim como a saudade, não se traduz

Gratidão de quarta-feira:
… U2 tocando no rádio do onibus lotado (eu sorrindo e cantando junto)
♪♫ if I could stay… Then the night would give you up (…) Faraway, so close… ♪♪

Gratidão de quinta-feira:  (considering gratitude in something that ticks me off)
… ter um emprego — um salário que paga as contas e um pouco mais

Gratidão de sexta-feira:
… a tecnologia que me permite descobrir no celular pela manhã um “bom dia” vindo de além mar e ilustrado com este por do sol:

imageedit_4_6116575133

(photo by my sis – obrigada, flor!)

Ás vezes parece mais difícil ser grato durante a semana de trabalho, mas não é impossível. Que tal você ter sua parcela de gratidão nos dias por vir?!

Processed with VSCO with hb1 preset

P.S. Esse post é minha participação no belo projeto de Michelle GD. (Veja Aqui meu post de 2015). Para saber mais sobre a Gratitude week Clique AQUI.
P.P.S. dear Michelle, Thank you for making my mornings a better place these days.

Devín – uma escapadinha da capital

Era ainda abril em nossa nova casa quando nos vimos desejosos de dar uma fugidinha da capital Eslovaca. Sem muito planejamento, exceto uma conferida na previsão do tempo, fomos conhecer a (não-)Bratislava que fica no fim da linha 29 de ônibus… o castelo de Devín.

devin

Como acontece com a maioria dos castelos da Eslováquia, hoje Devín não é muito mais do uma coleção de muros, uma ruína bem organizada.d1d2

O castelo de Devín está localizado no ponto onde o rio Morava encontra o Danúbio. Por sua história passaram celtas, romanos, tcheco-eslovacos, encontrando seu fim nas mãos das tropas de Napoleão.d3

Hoje é passeio para turistas e locais, com eventos pipocando durante o ano —  em abril, por exemplo, era tempo da festa para a queima das bruxas (tal qual em Czechlands).d4

Bom passeio e dovidenia!

Das batalhas encenadas

É sábado, no sofá curtimos nosso momento de preguiça pós-café da manhã (às 13h) até que um som abafado nos chama à sacada. Parecem explosões/fogos ao longe. Num estalo (literalmente) me dou conta do que está acontecendo. “Perdemos a batalha de Lamač, digo ao tcheco. Sim, estou falando do fim da guerra Austro-prussiana; mas ganhar ou perder é algo já de longe determinado. O que estava acontecendo então?
Uma encenação da tal batalha.

cannon

Não acompanhamos a ‘vitória’ austríaca em defesa de Bratislava. Mas chegamos a tempo de ver ainda os soldados — vencedores e perdedores.

bataioncamp

Mas de batalhas encenadas, outra sim acompanhei de verdade: a batalha de Bilá Hora — a batalha da Montanha Branca. Um marco no fim da participação da Bohemia (i.e. Czechia) na Guerra dos Trinta Anos; uma guerra talvez chamariam santa, haja visto a briga dos interesses políticos se dividiam em catolicos e protestantes.

A encenação de 2015 aconteceu num sábado fresco de setembro em Bilá Hora mesmo, hoje um distrito de Praga. Tentei “recriar” o teatro aqui pra vocês. Enjoy! gif-batalha